Por questões de infraestrutura o atletismo da Olimpíada das APAES tem como palco a pista olímpica de Blumenau. E a modalidade começou na terça-feira, 7, em clima de solidariedade entre os atletas. Foi comum ver adversários dando conselhos entre si e instruindo uns aos outros. Mas o fato do dia foi presenciado na prova dos 50 metros da corrida adaptada, destinada a atletas com deficiência física e intelectual.

     Terezinha Del Moro, da Regional Oeste, venceu a prova com o tempo de 11s3, ficando Elizete da Cruz, do Planalto Norte, em segundo, com 11s4, e Adriane Mocelin, da Regional do Contestado, em terceiro lugar com 11s8. Entretanto, as 11 atletas que participavam da prova não pararam de correr e passaram direto pela linha chegada e continuaram a competir de forma intensa como se estivessem disputando os 1.500 metros.

     Foi então que ocorreu o fato que foi bastante aplaudido pelos presentes. O verdadeiro espírito olímpico. Cerca de 200 metros após cruzarem a linha de chegada, com os atletas acelerando, Adriane Mocelin, de Concórdia e da Regional do Contestado, que já vinha no pelotão de trás, tropeçou e caiu batendo com o rosto na pista. Mesmo com tombo e escoriações levantou e continuou. Mas, poucos metros depois caiu novamente de joelhos ficando com mais escoriações pelo corpo. Não conseguiu se levantar.

     Àquela altura, Diana Aparecida Borges, de Urubici e da Regional Serrana, que na prova oficial terminou em quarto lugar, ‘liderava’ a corrida, mas ao perceber Adriane ao chão, chorando de dor, abdicou da ‘liderança’, parou de correr, deixou que todas as demais lhe ultrapassassem para voltar e levantar a competidora do Contestado.

     “Você é guerreira, é especial, é exemplo”, dizia ao ouvido da adversária tentando acalmá-la diante de um choro compulsivo de Adriane enquanto a conduzia em direção à arquibancada para cuidados médicos. Foi aplaudida pelos presentes.

     Depois, mais calma, Diana explicou o seu gesto: “Eu estava na liderança, mas ao ver a atleta cair fui ajudá-la porque aqui na Olimpíada das APAES não temos adversários e sim amigos. Naquele momento a vitória não era importante eu me coloquei no lugar dela. Eu não conheço ela, mas foi como se tivesse acontecido comigo”, revelou Diana.

     Enquanto era auxiliada pelas professoras da Regional do Contestado, Adriane, que além de deficiência intelectual tem as pernas atrofiadas, agradeceu o auxilio da heroína do dia. “Fiquei feliz pela atitude dela de largar a prova pra me ajudar. Não é todo mundo que toma essa atitude”, disse agradecida.

Diana Borges, de Urubici (vermelho), auxilia Adriane Mocelin, de Concórdia, que caiu na pista.  Foto: Antonio Prado.

     O atletismo da Olimpíada das APAES termina nesta quarta-feira, 8. Na terça-feira iniciaram também o tênis de mesa e a bocha paralímpica. Na segunda-feira, além da definição da natação, vencida pela Regional Nordeste no masculino e feminino, foram conhecidos os campeões do handebol e basquete. No handebol masculino e feminino o título ficou com a Regional Carbonífera e o basquete masculino foi vencido pela regional do Alto Vale do Itajaí.

     As competição da Olimpíada das Apaes prosseguem até quinta-feira, dia 9, com participação de mil estudantes de 190 Apaes de Santa Catarina, cujos times na competição são representados por seleções regionais das instituições.
Gaspar sedia a competição em alusão aos 35 anos da APAE local, que promove o evento em parceria com a Fesporte, Federação das APAES do Estado de Santa Catarina e Assembleia Legislativa (ALESC).

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA