Uma novidade para os fãs de esporte de Jaraguá do Sul e região. A cidade, que sempre se mostrou aberta para a prática de novas modalidades esportivas, será a capital catarinense do beisebol na próxima quarta-feira, dia 7 de setembro. O motivo é a realização da primeira edição do Campeonato Catarinense de Beisebol, no Estádio João Marcatto, a casa do Grêmio Esportivo Juventus.
O evento contará com quatro equipes, das cidades de Joinville, Florianópolis, Brusque e Curitiba, que jogarão entre si durante todo o dia. Representando a ‘Ilha da Magia’, o Floripa Ichiban (do japonês ‘os primeiros’) foi fundado em 2004. Criado no ano passado, o Joinville Royals (do inglês ‘membros da realeza’) representa a maior cidade de Santa Catarina na disputa. Caçula da modalidade, o Brusque Brewers (do inglês ‘cervejeiros’) foi fundado em maio deste ano. Equipe convidada, o curitibano Lapwings (do inglês ‘quero-queros’) iniciou suas atividades em 2008.
Apesar de não contar com nenhuma equipe na competição, a cidade sede terá seus representantes na disputa. Thiago Zandoná Chaves defende o Ichiban, enquanto Daniel Zatta Blasczak é atleta do Royals. O beisebol é praticado por duas equipes composta por nove jogadores, que alternadamente ocupam as posições de ataque e defesa. O objetivo é pontuar batendo com um bastão em uma bola lançada e depois correr pelas quatro bases do campo de forma continua ou alternada.
Baisebol
A partir de Tóquio, em 2020, modalidade passa a fazer parte do programa de disputas dos Jogos Olímpicos.
Diferente dos jogos da Major League Baseball (MLB), principal competição da modalidade, as partidas não serão disputadas em nove entradas (mini-jogos), mas por tempo, com duração de 1h15 cada. Assim, serão realizados seis jogos no decorrer do dia, sagrando-se campeã aquela equipe que somar o maior número de triunfos. A programação inicia às 8h, com Brewers X Lapwings, encerrando às 15h30, com o encontro entre Ichiban X Lapwings.
Inicialmente a disputa estava prevista para acontecer em Joinville, mas um imprevisto acabou forçando a mudança. “Acabou sendo uma mudança positiva”, afirma Tiago Borges, dirigente da Liga Catarinense de Beisebol (LCB), entidade promotora do evento. “Ganhamos em infraestrutura. O estádio João Marcatto já foi palco de grandes eventos, como uma final do campeonato brasileiro de futebol americano, e está apto para receber com conforto e segurança as equipes, os torcedores e também os curiosos”, informa.
Já prevendo um bom número de pessoas interessadas em conhecer a modalidade, que a partir de 2020 fará parte do programa olímpico, os dirigentes da Liga Catarinense de Beisebol planejam promover o primeiro contato dos curiosos com a dupla taco e bola, oportunizando arremessos e rebatidas. Em tempo, o acesso ao Estádio João Marcatto será gratuito durante todo o dia.

DEIXE UMA RESPOSTA