Em nota, ADJ Jaraguá Futsal nega extinção da equipe

Atletas, comissão técnica e diretoria do Jaraguá Futsal viveram um dia de muita tensão nesta terça-feira, onde o projeto quase chegou ao fim.

0
436

 

Pela manhã o grupo de jogadores e comissão técnica solicitaram uma reunião emergencial com a diretoria, pedindo uma resposta final sobre a dívida referente a salários atrasados, realidade vivida desde o início da temporada. O fato se agravou quando foi apurado que o ‘novo’ patrocinador máster que estava encaminhado e seria anunciado nos próximos dias, não viria mais.

Em meio a cobrança, a resposta recebida foi negativa, uma vez que a diretoria alegou que a Associação Desportiva Jaraguá (ADJ), entidade mantenedora da equipe, não tem o valor para pagar os atletas, que chegaria a R$ 350 mil de salários atrasados, além de outros R$ 300 mil de outras dívidas. Cansados de tanto aguardar o acerto do salário, inclusive com alguns jogadores passando necessidade, como falta de pagamento de aluguel e passíveis de despejo, além da falta de dinheiro para comprar remédio para os filhos dos jogadores, a equipe chegou ao consenso de que este seria o dia decisivo.

Já no período da tarde o grupo de jogadores novamente recebeu a notícia de que os salários não seriam pagos. Nesse momento os atletas buscaram outras alternativas, propondo inicialmente a desistência de participar dos campeonatos em atividade (LNF e Estadual), resultando na cobrança das dívidas na justiça, ou que os integrantes da ADJ transferissem a vaga que dá direito a equipe disputar a Liga Nacional, que atualmente custa em torno de R$ 600 mil, e assim os atletas iriam gerenciar o próprio clube, culminando com o afastamento da atual diretoria.

Inicialmente o presidente da ADJ, Gerson Postai, recusou estas possibilidades e os atletas, liderados pelo goleiro Franklin, chegaram a anunciar na Rádio Jaraguá o encerramento das atividades do futsal adulto em Jaraguá do Sul. Mas, por volta das 15h, Postai voltou atrás e, depois de muita resistência, aceitou entregar a gerencia do time para os jogadores. Porém, o afastamento de toda a diretoria ainda não foi oficializada. Após todo o ocorrido, o time embarcou no ônibus em direção a Florianópolis, para enfrentar o Floripa no jogo atrasado, válido pela quinta rodada, e que não ocorreu na ultima sexta-feira.

Caso a equipe não entrasse em quadra ontem provavelmente seria eliminada do campeonato e rebaixada para a segunda divisão, já que recentemente teve um WO ocorrido em uma partida contra Chapecó. O regulamento do certame prevê que em caso de dois WO o time é eliminado da competição. Passado a polêmica, nesta quarta-feira (27) o Jaraguá entra em quadra novamente pelo Campeonato Catarinense, quando enfrentará o rival Joinville, na Arena, às 20h15.

O goleiro Franklin comentou que essa foi a melhor alternativa encontrada pela equipe visando a manutenção do projeto. “Estamos assumindo nossos próprios salários. O passo importante é que todos atletas assumiram o risco e agora vamos trabalhar pela manutenção do projeto. Tudo foi feito pensando nisso, na continuidade do futsal em Jaraguá. Agora precisamos nos unir, e com o apoio de todos, começar a escrever uma nova história. O intuito maior é viabilizar a permanecia da equipe para termos lazer a todos. A mudança é grande, o risco é imenso e agora vamos trabalhar para mudar tudo isso, com respeito a aqueles que fazem parte desse projeto”, explicou.

Diretoria se pronuncia

No final da tarde de ontem conversamos com o presidente da ADJ, que não quis dar entrevista. Porém, em nota, a diretoria do Jaraguá Futsal emitiu comunicado explicando o ocorrido. Acompanhe:

NOTA OFICIAL DA ADJ Jaraguá
Diante das informações veiculadas através da mídia no dia de hoje, envolvendo o JARAGUÁ FUTSAL, esclarecemos:

1) A diretoria do Jaraguá Futsal vem trabalhando há vários meses na tentativa de saneamento das dívidas herdadas de gestões passadas, passivos de grande monta, ao mesmo tempo em que enfrenta as despesas normais de operação e manutenção da ADJ – Associação Desportiva Jaraguá – montagem de time competitivo e principalmente para colocar os salários do elenco em dia, tarefa à qual envida seus maiores esforços.
2) Não procede a informação que o “JARAGUÁ FUTSAL FECHOU” e os responsáveis por esta informação leviana e sem sustentação serão acionados dentro dos ditames legais, principalmente pelas consequências desta afirmação, que pode gerar prejuízos e interrupção de negociações com possíveis patrocinadores que vêm sendo conduzidas pela diretoria.
3) A atual diretoria já tinha acordo de patrocínio verbalmente fechado com o grupo EL SHADDAI, com sede na Bahia, inclusive com trocas de documentos para acertos de detalhes no contrato e já com cronograma de pagamentos agendado.
4) Nesse momento, agindo de boa fé, a diretoria, sendo transparente como sempre foi, informou aos atletas sobre os detalhes deste patrocínio, inclusive com os contatos da EL SHADDAI, para que percebessem que os esforços estavam sendo feitos.
5) Estranhamente após este fato, a comunicação entre ADJ e o grupo EL SHADDAI interrompeu-se e a negociação emperrou, inclusive com o não envio do contrato assinado e consequentemente do depósito da primeira parcela que colocaria o salário do elenco em dia. Inclusive o presidente do Grupo queixou-se de que ligações anônimas começaram a chegar a ele, com assuntos relacionados ao Jaraguá Futsal, de forma ofensiva.
6) Diante da situação que se formou, o líder dos jogadores exigiu que a diretoria atual se desligasse e simplesmente entregasse a vaga da Liga Nacional, ameaçando com a não entrada dos jogadores em quadra, caso esta exigência não fosse atendida. Porém, convencemos o elenco da importância de representar a camisa do Jaraguá Futsal acima de tudo, bem como de cumprir com as obrigações que a ADJ assumiu juridicamente com os organismos de organização, supervisão e promoção do desporto, enquanto discutimos as deliberações a serem tomadas. Isso sem contar com a imagem do Jaraguá Futsal dentro do panorama esportivo brasileiro.
7) A vaga da LNF – Liga Nacional de Futsal – é a garantia da disputa da competição de Futsal mais importante do Brasil. O representante dos jogadores afirmou que caso o grupo de jogadores não conseguisse viabilizar patrocínios para a equipe, eles a venderiam para fazer uma divisão do valor entre eles, o que significaria, aí sim, A EXTINÇÃO DO JARAGUÁ FUTSAL, fato com o qual a DIRETORIA não concorda, pactua e jamais sequer pensou em fazer. Podemos passar por dificuldades, mas vender a vaga da Liga Nacional, jamais.
8) Ainda lançando mão da transparência, a diretoria afirma que mantem-se aberta ao diálogo e reforça seu compromisso com a ADJ de procurar as melhores soluções para a situação que se formou, porém, não abrirá mão de suas prerrogativas legais, amparadas pelo estatuto da ADJ, da CBFS (Confederação Brasileira de Futebol de Salão – Futsal, LNF (Liga Nacional de Futsal) e pela legislação esportiva.

Atenciosamente,
Gerson Postai
ADJ – Presidente

Obs. As informações, na íntegra, foram extraídas do website da Rádio Jaraguá

DEIXE UMA RESPOSTA